home Voltar ao site
Navegação
Fale Conosco
  • location_on

    São Paulo - Matriz R. Buriti Alegre, 525 Vila Ré . São Paulo . SP CEP: 03657-000 - Tel: 11 2023-9999

    Goiânia - Filial End. Décima Segunda Avenida, 321 A QD-60 LT-14 Setor Leste Universitário . Goiania . GO CEP: 74603-020 - Tel: 62 3926-8100

    Rio de Janeiro - Filial End. Rua Gildásio Amado, 55 . 6º andar sala 607 . Barra da Tijuca . Rio de Janeiro . RJ . CEP: 22631-020 - Tel: 21 3176-5950

    Tocantins - Filial End. 303 . Sul . Av LO 09 . Lote 21 . Sala 03 . Plano Diretor Sul . Edifício Bastos . Piso Superior . Palmas . TO . CEP: 77015-400 - Tel.: 63 3026.2354

    Belo Horizonte - Filial Rua Araguari. 358 . Térreo . Loja 03 . Barro Preto . MG . CEP: 30190-110 - Tel.: 31 3526.8870

Deixe sua Mensagem

    Empresas precisam de arranjos de trabalho mais flexíveis

    Recorde de empresas fechando as portas, maior número de desempregados em quatro anos e o empresariado com o pé no freio diante da economia em recessão. Equalizar os fatores que têm atemorizado o mercado brasileiro pode passar pela flexibilização das relações de trabalho. Especialistas em recursos humanos e as próprias empresas sediadas no País apostam em arranjos mais maleáveis, principalmente de jornada, para ajudar a “fechar a conta”. As mudanças, no entanto, devem ser amplamente discutidas para garantir, sobretudo, o direito do trabalhador.

    Uma pesquisa realizada pelo Núcleo de Estudos em Recursos Humanos e Relações de Trabalho (Nerhurt) da PUC Minas, em parceria com a Fundação Dom Cabral (FDC) e apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), mostrou que mais da metade dos empresários consultados concorda total ou parcialmente que as companhias devam adotar arranjos de trabalho que sejam mais flexíveis para melhorar a produtividade e a qualidade de vida do trabalhador. Por outro lado, ainda há um receio sobre o passivo trabalhista que esse tipo de flexibilização poderia gerar à empresa.

    Na avaliação de Juliana Andrade, professora associada da FDC, sócia da Aptta – Soluções em Carreiras Femininas, a mudança de postura e os reajustes nas relações trabalhistas podem auxiliar, principalmente, na desafiadora tarefa de conciliar as vidas profissional e pessoal. “A flexibilização pode ser em termos de contrato de trabalho, de vínculo, em termos de jornada. É uma questão que tem vários vieses. Mas o que percebemos é que talvez ela seja necessária, principalmente, para garantir mais qualidade de vida, compatibilizar melhor trabalho e família”, afirma.

    Na opinião dela, as organizações brasileiras não têm conseguido acompanhar, com as estruturas e os processos, mas principalmente em termos de contrato de trabalho, a demanda do indivíduo contemporâneo.

    Fonte: Diario do Comercio

    Rate this post

    Não perca mais nenhum post!

    Assine nosso blog e receba novos posts frequentemente em seu email.