home Voltar ao site
Navegação
Fale Conosco
  • location_on

    São Paulo - Matriz R. Buriti Alegre, 525 Vila Ré . São Paulo . SP CEP: 03657-000 - Tel: 11 2023-9999

    Goiânia - Filial End. Décima Segunda Avenida, 321 A QD-60 LT-14 Setor Leste Universitário . Goiania . GO CEP: 74603-020 - Tel: 62 3926-8100

    Rio de Janeiro - Filial End. Rua Gildásio Amado, 55 . 6º andar sala 607 . Barra da Tijuca . Rio de Janeiro . RJ . CEP: 22631-020 - Tel: 21 3176-5950

    Tocantins - Filial End. 303 . Sul . Av LO 09 . Lote 21 . Sala 03 . Plano Diretor Sul . Edifício Bastos . Piso Superior . Palmas . TO . CEP: 77015-400 - Tel.: 63 3026.2354

    Belo Horizonte - Filial Rua Araguari. 358 . Térreo . Loja 03 . Barro Preto . MG . CEP: 30190-110 - Tel.: 31 3526.8870

Deixe sua Mensagem

    Sefaz MT: Estado vai fiscalizar postos para combater “cartelização”

    banner 08 Sefaz MT - Sefaz MT: Estado vai fiscalizar postos para combater “cartelização”

    Foto: Marcos Vergueiro/Secom-MT

    Segundo Gallo, em janeiro, reduções devem ser de
    R$ 0,06 no diesel e R$ 0,17 na gasolina

    O secretário estadual de Fazenda Rogério Gallo afirmou que o Governo do Estado  do MT vai ficar atento ao movimento de preços no mercado de combustíveis a partir do dia 1º de janeiro, quando entra em vigor a redução do ICMS. O temor é que haja uma cartelização (acordo entre concorrentes) e os preços não caiam.

    Enquanto a alíquota do ICMS sobre o litro da gasolina passará de 25% para 23%, sobre o diesel a redução será de 17% para 16%. Conforme o secretário de Fazenda (Sefaz) Rogério Gallo, Mato Grosso terá a menor alíquota sobre a gasolina entre todos os estados brasileiros.

    Na sexta-feira, o Procon Estadual, a Polícia Civil e a Secretaria de Fazenda (Sefaz) iniciaram monitoramento de preços de produtos e serviços que terão redução da alíquota.

    “Temos que acompanhar se isso será repassado nas bombas. Porque temos um mercado aberto, livre concorrência, e tem donos de postos que repassam e outros que seguram um pouco o preço”

    “No diesel, isso deve impactar em torno R$ 0,06 a R$ 0,07. Parece pouco para quem coloca 60 litros, porque dá uns R$ 3 de desconto no final. Mas para um motorista, um autônomo que abastece 1.000 litros, por exemplo, a economia chega a R$ 70″.

    “Na gasolina são R$ 0,17. Então, cada abastecimento que ele for fazer é significativo. Resta saber se isso será repassado. Cabe a nós fiscalizar”, completou. 

    De acordo com Gallo, teve início um movimento de redução também por parte da Petrobras. Nesta semana, o preço caiu R$ 0,10 nas distribuidoras, o que também contribui para o bolso do consumidor. 

    “Mas temos que acompanhar se isso será repassado nas bombas. Porque temos um mercado aberto, livre concorrência, e tem donos de postos que repassam e outros que seguram um pouco o preço”, afirmou.

    “O Estado vai fiscalizar junto com o cidadão e o Procon para verificar se não está tendo uma combinação, uma cartelização, porque não pode. No diesel e na gasolina, temos que ficar atentos”, alertou o secretário.

     A cartelização à qual Gallo se refere ocorre quando há um acordo comercial entre empresas do mesmo ramo de atividade para evitar a concorrência mútua, garantir a regulação de preços de venda e afastar competidores.

    Fonte: Secom-MT – Lislaine dos Anjos

    4.4/5 - (18 votes)

    Marcadores: