home Voltar ao site
Navegação
Fale Conosco
  • location_on

    São Paulo - Matriz R. Buriti Alegre, 525 Vila Ré . São Paulo . SP CEP: 03657-000 - Tel: 11 2023-9999

    Goiânia - Filial End. Décima Segunda Avenida, 321 A QD-60 LT-14 Setor Leste Universitário . Goiania . GO CEP: 74603-020 - Tel: 62 3926-8100

    Rio de Janeiro - Filial End. Rua Gildásio Amado, 55 . 6º andar sala 607 . Barra da Tijuca . Rio de Janeiro . RJ . CEP: 22631-020 - Tel: 21 3176-5950

    Tocantins - Filial End. 303 . Sul . Av LO 09 . Lote 21 . Sala 03 . Plano Diretor Sul . Edifício Bastos . Piso Superior . Palmas . TO . CEP: 77015-400 - Tel.: 63 3026.2354

    Belo Horizonte - Filial Rua Araguari. 358 . Térreo . Loja 03 . Barro Preto . MG . CEP: 30190-110 - Tel.: 31 3526.8870

Deixe sua Mensagem

    Diretor da ANP alerta para riscos de Câmara aprovar venda direta sem mudar tributação

    Diretor da ANP alerta para riscos de Câmara aprovar venda direta sem mudar tributação

    Diretor-da-ANP-alerta-para-riscos-de-Câmara-aprovar-venda-direta-sem-mudar-tributação - Diretor da ANP alerta para riscos de Câmara aprovar venda direta sem mudar tributação

    Diretor da ANP alerta para riscos de Câmara aprovar venda direta sem mudar tributação

    O diretor-geral da ANP, Décio Oddone, alertou que o projeto em tramitação na Comissão de Minas e Energia da Câmara (CME) prevendo a liberação da venda direta do etanol entre produtores e postos varejistas vai criar um “vácuo” na arrecadação se for aprovado da forma como está hoje.

    Décio Oddone participou nesta terça (24) de audiência na CME que discutiu a verticalização do setor de combustíveis.

    A CME pautou para a amanhã a votação do PDC 978/2018, um projeto de decreto legislativo, que revoga a proibição da venda direta, mas não trata da questão tributária, já apontada pela ANP e pelo Ministério da Economia como um entrave para a mudança. Mudança demanda um projeto de lei.

    Hoje, as regras tributárias preveem a cobrança na distribuição, o que impossibilita a eliminação deste elo da cadeia de etanol. O PDC apenas susta o art. 6º da Resolução nº 43/2009, da ANP, que exige a comercialização por meio de distribuidoras. A agência entende que é possível modificar a regulação sem prejuízos.

    “Essas questões precisam ser todas equacionadas e por isso que é mais complexo do que parece e está sendo discutido no âmbito da ANP e do Ministério da Economia”, afirmou Décio Oddone.

    Críticas ao ICMS

    O diretor-geral da ANP defendeu a revisão da cobrança de tributos sobre os combustíveis, especialmente o ICMS.

    “Cada vez que aumenta o preço, aumenta o imposto, com o aumento do imposto o revendedor aumenta o preço para compensar o aumento do imposto. Passa um tempo, o estado vai lá de novo, vê que o preço aumentou, aumenta o preço de referência e o imposto”, explicou.

    “Esse aumento em cascata é ruim pois aumenta a volatilidade e também aumenta a volatilidade na arrecadação dos estados”.

    Ele lembrou que o imposto tem as maiores alíquotas cobradas sobre combustíveis, com até 30% do preço final do produto,  mas com diferenças de alíquotas grandes também entre os estados, um quadro que incentiva a sonegação.

    O CNPE pediu ao Ministério da Economia um estudo sobre a questão tributária na cadeia de combustíveis que está sendo realizado com a ANP e deve ser concluído este ano.

    Deputados criticam verticalização

    “Nós não acreditamos em verticalização, seja no mercado de combustíveis, seja na saúde. A verticalização só serve aos interesses dos grandes grupos econômicos e nunca em benefício do consumidor”, afirmou Luiz Antonio Teixeira Jr (PP/RJ).

    “Ela é deletéria principalmente do livre mercado e para o país”, conclui.

    Leur Lomanto Júnior (DEM/BA) demonstrou preocupação com a concentração do mercado caso as distribuidoras, em resposta à venda direta do etanol, resolvam investir na ampliação de redes próprias de postos.

    “Hoje, 65% do mercado de combustível no Brasil está concentrado em apenas três distribuidoras”, lembrou o deputado

    Fonte: epbr

    Rate this post

    Marcadores:

    Não perca mais nenhum post!

    Assine nosso blog e receba novos posts frequentemente em seu email.

      Comentários