home Voltar ao site
Navegação
Fale Conosco
  • location_on

    São Paulo - Matriz R. Buriti Alegre, 525 Vila Ré . São Paulo . SP CEP: 03657-000 - Tel: 11 2023-9999

    Goiânia - Filial End. Décima Segunda Avenida, 321 A QD-60 LT-14 Setor Leste Universitário . Goiania . GO CEP: 74603-020 - Tel: 62 3926-8100

    Rio de Janeiro - Filial End. Rua Gildásio Amado, 55 . 6º andar sala 607 . Barra da Tijuca . Rio de Janeiro . RJ . CEP: 22631-020 - Tel: 21 3176-5950

    Tocantins - Filial End. 303 . Sul . Av LO 09 . Lote 21 . Sala 03 . Plano Diretor Sul . Edifício Bastos . Piso Superior . Palmas . TO . CEP: 77015-400 - Tel.: 63 3026.2354

    Belo Horizonte - Filial Rua Araguari. 358 . Térreo . Loja 03 . Barro Preto . MG . CEP: 30190-110 - Tel.: 31 3526.8870

Deixe sua Mensagem

    Walmart, Carrefour, Extra e Pão de Açúcar são autuados em operação do Procon-SP

    Carrefour, Extra, Pão de Açúcar e Walmart foram autuados durante a operação “De Olho no Mercado”, realizada pela Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Governo do Estado. Durante a operação, quando foram visitados 36 estabelecimentos, os fiscais encontraram irregularidades em 100% dos mercados fiscalizados em São Paulo.

    -Normalmente, neste tipo de operação, encontramos irregularidades numa média de 35%, 40% dos estabelecimentos. Desta vez, os problemas foram registrados em 100% dos supermercados, e em 24 dos 36 estabelecimentos visitados, foram encontrados produtos com data de validade vencida, uma quantidade alarmante. E em se tratando de supermercados, onde as pessoas têm que ir praticamente todos os dias, isso é muito preocupante — afirma Bruno Stroebel, supervisor de Fiscalização do Procon-SP e responsável pela operação.

    As principais irregularidades encontradas foram: produtos vencidos, sem validade ou com validade não visível; e descumprimento de oferta, além de problemas relacionados ao leitor ótimo (falta de leitor, leitor quebrado, distância superior a 15 metros).

    — O problema de alimento vencido é muito sério, pois traz risco à saúde do consumidor. No caso do descumprimento de oferta, o cliente está sendo enganhado: anunciam produto e não tem na loja, anunciam produto com valor promocional e quando o consumidor passa no caixa é cobrado valor superior. E mais, quando anunciam kit promocional, por exemplo, leve “6 pague 5”, mas matematicamente oferta não é cumprida. Neste tipo de oferta, normalmente de pasta de dente, sabonete, enxaguante bucal, produtos de uso diário, o consumidor acaba levando uma maior quantidade, e na hora da compra, não vai parar para fazer cálculo e, na verdade, sai no prejuízo — esclarece Stroebel.

    De acordo com o supervisor do Procon-SP, todos os estabelecimentos responderão a um processo administrativo e serão autuados. Como as irregularidades foram identificadas na hora da operação pelos fiscais, os supermercados devem corrigi-las de imediato. Ao cumpri-las, podem receber um abatimento nas multas, que variam de R$ 631 a R$ 9,457 milhões, dependendo do faturamento do supermercado e da gravidade do problema encontrado.

    Em nota, o Carrefour informa que os apontamentos são fatos isolados e não condizem com as práticas da empresa, e esclarece que ouviu atentamente as recomendações do órgão, reforçando procedimentos internos e as orientações às suas equipes, em linha com o que determina a legislação, o Código de Defesa do Consumidor, e a sua política de Segurança Alimentar, que respeita as determinações da Vigilância Sanitária. O Carrefour reitera, ainda, o seu compromisso com os clientes, assim como com a correta identificação e qualidade dos produtos que comercializa.

    O Grupo Pão de Açúcar (Extra e Pão de Açúcar), por sua vez, reforça que pauta suas ações no respeito ao cliente, trabalha de acordo com as orientações dos órgãos reguladores e tem rigoroso procedimento para auditar as instalações e procedimentos adotados em suas lojas. Além disso, ressalta, que as lojas cumprem o que prevê o Código de Defesa do Consumidor e realizam o controle e fiscalização dos preços para que estejam alinhados aos valores registrados no caixa.

    “Em eventual divergência de preços, é norma da companhia que o valor cobrado seja sempre o menor, em beneficio ao consumidor”. diz, em nota, informando que cumprirá todas as determinações apontadas na fiscalização dentro dos prazos indicados pelo órgão.
    Procurados, os outros supermercados não se manifestaram.

    Fonte – O Globo

     

    Rate this post

    Marcadores: