home Voltar ao site
Navegação
Fale Conosco
  • phone
    (11) 2023-9999 \ (11) 2023-9968 Filial: (62) 3926-8100
  • location_on

    São Paulo - Matriz R. Buriti Alegre, 525 Vila Ré . São Paulo . SP CEP: 03657-000

    Goiânia - Filial End. Décima Segunda Avenida, 321 A QD-60 LT-14 Setor Leste Universitário . Goiania . GO CEP: 74603-020

Deixe sua Mensagem

PF faz operação em SP contra fraude na venda de combustíveis

sonegacao550

Segunda fase da Rosa dos Ventos investiga esquema de R$ 5 bilhões; agentes cumprem 5 mandados de prisão em São Paulo e Campinas.

Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quarta-feira (15) uma operação contra um esquema de fraude e sonegação fiscal de R$ 5 bilhões na venda de combustíveis. Agentes prenderam quatro pessoas em São Paulo e Campinas, no interior paulista. Outro suspeito é procurado.

A PF também cumpre seis mandados de busca e apreensão nas duas cidades.

O alvo principal é um auditor fiscal da Receita Federal suspeito de receber presentes do grupo criminoso, como uma viagem ao exterior e materiais de construção para a reforma da casa dele. Em troca, passava informações sigilosas, prestava consultoria e agilizava a liberação de bens importados pelos empresários.

A investigação cita ainda supostos repasses de propina a um ex-conselheiro do Carf, o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais. Ele é alvo da operação Zelotes e justamente por isso pediu demissão do cargo.

Os investigados responderão por corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e crimes contra a ordem tributária. As penas variam de 2 a 12 anos de prisão, além de multa.

Operação Rosa dos Ventos

Esta nova etapa da investigação teve início com a análise do material apreendido na primeira fase, realizada há exato um ano e deflagrada após fiscalização da Receita constatar sonegação fiscal em uma distribuidora de combustíveis de Paulínia, também no interior.

Na ocasião, foram investigados, crimes contra a ordem tributária, lavagem de dinheiro e falsificação de títulos públicos. Levantamentos feitos na investigação apontaram um prejuízo de R$ 5 bilhões em impostos sonegados e multas que deixaram de ser pagas pelos investigados e suas empresas.

Fonte: G1

Avalie este Post!

Marcadores: